Interior FC

Posts Tagged ‘Jeff Buckley’

1, 2, 3, 4..

In Música, Pensamentos, Pessoa on março 30, 2009 at 11:36 am

Hoje deu uma vontade de escutar Jeff Buckley.

Sei lá porque. É a chuva? Não sei tb. Veio essa sensação. Coloquei o Jeff pra soltar a voz no meu player.

Acabei me analisando a cada passagem das minhas duas faixas favoritas:

Grace e Lilac Wine.

A Grace é mais jovem. Limpa. Esperançosa. Feliz(?).

Eu não presto muita atenção nas letras, apesar de ser vocalista e nos tempos livres componho letras :P.

Para mim é o conjunto da obra que define as sensações e emoções que vem até mim para me completar ou me destilar.

Grace vai contando a sua história através de seu tempo particular, deixando as coisas para trás e querendo encontrar o futuro.

A melodia de seu refrão é tb muito fiel a essa sintonia de cores em um dia muito vivo. E o final da música, explode em um desabafo vocal, dizendo que vc pode realizar o que desejar que o universo irá te respeitar…

E seu solfejo, mostra que é realizado para pessoas que escutam música de olhos fechados…

Sensações. Sensações simplesmente movidas pela música, sem eu ler letra ou saber uma nota se quer ali.

Mudando o lado do disco:

Lilac Wine.

Outra faixa, cantada no início, meio baixinha, como um ode a amada. Em segundos a música vai ganhando forma, questionando o que fazer para ter o amor perto. É aquela vontade de estar junto, mas sem exatamente saber como fazer isso acontecer.

Simplesmente, a sensação é de se agarrar em algo, mas são só suposições, para trazer momentos e os rostos colados, de novo. Nem que seja só para um adeus.

Ao final da faixa, aquele silêncio aos 3:34s (interpretado como um ciclo que termina), perde força para um último ode, confirmado pelo sentimento – vontade – interior de se entregar em um último momento a pessoa, ainda se sentindo preso pela pergunta “por que não(pode acontecer)?”

E a própria resposta, triste, se repete, uma, duas, três vezes…concretizando aos 4:00s…deixando sua voz trêmula e miúda. sem mais luta. sem mais força.

v a z i o . .

Mas tudo isso, são só…sensações…